sexta-feira, 24 de Outubro de 2008

carta de um pai a um filho

meu filho,
queria dizer-te hoje, por todas as vezes que não to disse e devia, que não existe medida para o amor que te tenho, ou para o sentimento de profunda realização que me enche a alma de cada vez que olho para ti. que não é possível definir em palavras o orgulho que tenho em cada um dos teus sorrisos, em cada uma das tuas palavras, em cada um dos teus gestos, na criança que foste e no homem em que te estás a transformar.
queria agradecer-te por seres o meu melhor amigo e por aceitares que eu seja o teu. por seres a materialização de todos os meus sonhos, tudo o que desejei e muito, muito mais. porque cada vez que me abraças fazes de mim um rei, cada vez que me chamas fazes de mim um herói. porque és o melhor que há em mim.
queria pedir-te perdão por todas aquelas vezes que não tive tempo ou paciência. por todos os momentos em que precisaste de mim e eu não estive presente. por não ter estado mais, rido mais, beijado mais, brincado mais…
queria dizer-te que todas as escolhas que fiz, mesmo as erradas e mesmo as que contrariaram a tua vontade, tinham o propósito de fazer de ti alguém melhor que eu. que vivo para te ver saudável e em paz, que nada no mundo é mais importante que tu, que o meu pesadelo é perder-te, magoar-te ou afastar-te de mim.
não tenho verdades universais ou conselhos sábios para te dar, mas se a minha vontade te pesa nas decisões, então sê feliz. a vida tem uma forma estranha de nos ensinar, e tudo o que precisas de saber aprenderás no momento em que conheceres o teu filho. deixarás de pertencer a ti próprio e saberás que o amor não conhece limites ou barreiras.
com todo o amor,
pai
b. b. booker
vinteetrês.outubro.doismileoito

3 comentários:

  1. gosto muito desta mensagem

    ResponderEliminar
  2. pow cara muito legal, emocionante demais. vlw e parabens!

    ResponderEliminar
  3. bateu diritinho com asituaçao que to passando no momento com minha filha gostei muito!

    ResponderEliminar