quinta-feira, 29 de março de 2012

ser poeta outra vez

.
plantar palavras
sem terra nem vento
e beijar
as bochechas à lua cheia
inventar desvarios

e sonhar
todos os dias
em viver duas vidas e mais

outra vida e meia
tocar no cheiro dos dias
depois da chuva
e não ter as dúvidas
das pessoas com juizo
ter abraços longos
onde pode caber o mundo
e a alma em colagens
de pedaços de riso
sem razão e sem sentido
de ser assim
esdruxulamente

grande e serena e completa
e existir muito

num momento muito claro
e sentir o sol nos dedos

como se fosse poeta
.

raquel patriarca | vinteenove.março.doismiledoze
.

1 comentário:

  1. Tenho muitas, muitas saudades dos teus abraços longos, mana linda!

    S

    ResponderEliminar